Critérios para doação de sangue

Inaptidão por categoria Tempo de inaptidão
 INAPTIDÃO TEMPORÁRIA
Atraso menstrual em mulheres em idade fértil Até que se afaste a possibilidade de gravidez ou de outro problema que impeça a doação
Adenomegalia a esclarecer Avaliação caso a caso
Alergias (tratamento de dessensibilização) 3 dias após o fim do tratamento
Alergias (urticária, rinite, dermatite e outras) Na fase aguda e durante o tratamento
Blastomicose pulmonar 5 anos depois da cura
Brucelose 1 ano após o tratamento ou 8 semanas após a potencial exposição
Caxumba 3 semanas após a cura
Citomegalovírus 3 meses após desaparecimento dos sintomas
Cólera 3 meses após a cura
Conjuntivite 1 semana após a cura
Dengue 4 semanas após a cura
Dengue hemorrágico 6 meses se sem transfusão, com transfusão 12 meses
Diarreia 1 semana após a cura
Epilepsia 3 anos após suspensão do tratamento e sem relato de crise convulsiva
Erisipela 2 semanas após a cura
Gripes ou resfriados 1 semana após cessarem os sintomas ou 2 semanas, se temperatura > 38°C
Herpes simplex genital, Herpes simplex oral, etc Genital: 12 meses após a cura / Oral: após desaparecimento das lesões
Herpes Zoster 6 meses após desaparecimento de sintomas
Infecções bacterianas comuns não complicadas (por exemplo: sinusite, amigdalite, otite, infecção urinária baixa) 2 semanas após o fim do tratamento
Leptospirose 3 meses após a cura
Lesões de pele no local da punção venosa Até a cura, exceto se diagnóstico específico, seguir o tempo da condição. Ex: psoríase extensa
Lesões dermatológicas: eritema polimorfo, eritrodermias, eritema polimorfo, eritrodermias 6 meses após a cura
Líquen plano 6 meses após a cura
Meningite infecciosa 6 meses após a cura
Mononucleose infecciosa 6 meses após a cura
Osteomielite aguda 2 meses após a cura
Osteomielite crônica Definitivo
Pericardite infecciosa (exceto tuberculosa) 12 meses após a cura sem sequelas, se tuberculosa inapto definitivo
Pielonefrite aguda 1 mês após a cura
Pielonefrite crônica Definitivo
Piercing, tatuagem ou maquiagem definitiva 6 meses após realização; 12 meses se não houver condição de avaliação da segurança do procedimento realizado; se na cavidade oral e/ou na região genital, devido ao risco permanente de infecção, a inaptidão é 12 meses da retirada. Acupuntura, brincos e piercing em pele sob antissepssia apropriada apto após 72 horas.
Rubéola 2 semanas após a cura
Retirada de verrugas, unhas, manchas e outros pequenos procedimentos dermatológicos Após cicatrização (se ausência de suspeita de neoplasia)
Síndrome vestibular periférica (labirintite) 30 dias após a crise e sem uso de medicamento
Sífilis Inaptidão definitva (critério do Hemocentro/Unicamp)
Tromboflebite isolada 6 meses após a cura
Toxoplasmose comprovada laboratorialmente 1 ano após a cura
Tuberculose pulmonar 5 anos depois da cura
Úlcera gástrica e/ou duodenal 12 meses após último sangramento, 30 dias após término tratamento.
Varicela 3 semanas após a cura
CIRURGIAS
Cirurgia cardíaca Definitiva, exceto correções de Comunicação interatrial (CIA), Comunicação interventricular (CIV) e Ablação para correção de arritmia: se alta médica, sem sequelas: apto
Gastrectomia total Definitivo
Pneumectomia ou lobectomia Definitivo
Esplenectomia Definitivo, exceto se for pós-trauma
Cirurgias de miopia ou catarata Após alta oftalmológica
Nefrolitotomia extracorpórea 1 mês
Apendicectomia 3 meses
Hemorroidectomia 3 meses
Hernioplastia 3 meses, se por vídeo 6 meses
Ressecção de varizes Ressecção: 3 meses, esclerose apenas: 3 dias
Cirurgia plástica estética ou reparadora não extensa Cirurgia plástica estética ou reparadora não extensa: 3 meses
Amigdalectomia 3 meses
Colecistectomia 6 meses
Vagotomia super-seletiva 6 meses
Histerectomia 6 meses
Laminectomia 6 meses
Artrodese de coluna 6 meses
Tireoidectomia 6 meses
Nódulo de mama 6 meses, após negativo para malignidade
Cirurgia plástica sob anestesia com bloqueio peridural ou raquimedular ou geral 6 meses 6 meses
Ortopédicas em geral 6 meses após a consolidação
Cirurgia de politrauma 12 meses sem sequelas / A critério médico, se houver sequelas
Colectomia 12 meses
Esplenectomia pós-trauma 12 meses
Nefrectomia 12 meses
Ressecção de aneurisma Inaptidão definitiva
Procedimentos endoscópicos inclusive cirurgias laparoscópicas 6 meses
Tratamento de canal, drenagem de abscesso, gengivites e cirurgias com anestesia local 1 semana após o procedimento ou uma semana após o término do anti-inflamatório e/ou do antibiótico
Extração dentária 7 dias após o procedimento
Procedimentos sem anestesia e sangramento (por exemplo: pequenas cáries e ajuste de aparelhos) 1 dia após o procedimento
Remoção de tártaro e outros procedimentos com anestesia local (por exemplo: obturações) 3 dias após o procedimento
Cirurgias odontológicas com anestesia geral 6 meses após o procedimento
MEDICAMENTOS
Antibióticos e quimioterápicos antibacterianos ou antifúngicos Temporário, 15 dias para antibióticos e 7 dias para antifúngicos
Corticosteroides sistêmicos Depende da doença para a qual foi utilizado. Inaptidão mínima de 48 horas após a suspensão
Corticosteroides tópicos Só contraindicam a doação se a doença de base o fizer
Anticoagulantes 10 dias após a interrupção do medicamento
Anticonvulsivantes Enquanto estiver usando o medicamento (se for por crise convulsiva por 3 anos após a suspensão sem crises)
Analgésicos: paracetamol, dipirona sódica ou similares Como analgésico, não contraindicam a doação mesmo que tenham sido utilizados no dia da doação.
Anorexígenos 7 dias após a interrupção do medicamento
Hiperuricêmicos (Alopurinol) Não contra-indica a doação, se ausência de crises
Anti-inflamatórios: ácido acetilsalicílico, diclo-fenacos, meloxicam, piroxicam, fenilbutazona, etc. (com efeito na função plaquetária) “Não contraindicam a doação, porém não deve ser preparado concentrado de plaquetas a partir daquela doação, se o remédio foi usado nos últimos 3 dias”
Medicação para profilaxia contra infecção por HIV pós-exposição (PEP) ou pré-exposição (PrEP) 6 meses a contar da data da administração da última dose, ou seus respectivos(as) parceiros(as) sexuais.
Anti-hipertensivos e outros medicamentos cardiológicos
Ação Central: metildopa, clonidina, reserpina 48 horas após a suspensão do medicamento
Beta-bloqueadores: propranolol, atenolol, oxprenolol ou similares 48 horas após a suspensão do medicamento
Bloqueadores alfa-adrenérgicos: prazosina, etc. 48 horas após a suspensão do medicamento
Diuréticos Não há contraindicação. Orientar o doador a fazer uma hidratação oral prévia mais rigorosa
Inibidores de enzima conversora de angiotensina: captopril, enalapril, etc. Não há contraindicação
Antagonistas de angiotensina II: losartana, etc. Não há contraindicação
Bloqueadores de canais de cálcio: nifedipina, etc. Não há contraindicação para doação de sangue total, porém é contraindicado doação por aférese.
Vasodilatadores: hidralazina, minoxidil,etc. 5 dias após a suspensão do medicamento
Antiarrítmicos: amiodarona, etc. Enquanto estiver usando o medicamento
Medicamentos Psiquiátricos
Antidepressivos 24h após cessar uso da droga; Se associação (mais de um tipo de medicamento), doses elevadas (3 ou mais comprimidos por dia) e/ou condições clínicas alteradas (agitação, fala confusa, embotamento) – à critério médico
Antipsicóticos: haloperidol, clorpromazina, etc 7 dias após a suspensão do medicamento pelo médico assistente e avaliado caso a caso
Ansiolíticos e soníferos Tranquilizantes (benzodiazepinicos) – 24hs após última dose; Indutores do sono – 12hs após última dose
Hormônios e Antimetabólicos
Hormônio do crescimento hipofisário humano Definitivo
Hormônio gonadotrófico hipofisário humano Definitivo
Hormônio do crescimento recombinante Não há contraindicação
Anticoncepcionais Não há contraindicação, exceto pílula do dia seguinte, que inapta até descartar a possibilidade de gravidez
Testosterona 6 meses após a suspensão da medicação com prescrição, se usado como anabolizante inaptidão por 12 meses
Danazol 6 meses após a suspensão da medicação
Hormônios femininos Não há contraindicação, a menos que estejam sendo usados para tratamento do câncer
Outros hormônios hipofisários recombinantes Depende do motivo pelo qual o medicamento foi usado
Antitireoidianos de síntese: propiltiouracila, tiamazol, etc. Definitivo pela patologia de base
Anticolesterolinemicos: clofibrato, estatinas, etc Não contraindicam a doação a menos que estejam sendo usados para tratamento de hiperlipidemia familiar
Medicamentos Teratogênicos
Isotretinoína 1 mês de inaptidão após a última dose
Finasterida 1 mês após a interrupção do medicamento
Dutasterida 6 meses após a interrupção do medicamento
Acitretina 3 anos após a interrupção do medicamento
Etretinato Inaptidão definitiva
VACINAS
Pólio oral (Sabin) 4 semanas
Febre tifóide oral 4 semanas
Caxumba (Parotidite) 4 semanas
Tríplice viral [Caxumba (Parotidite), Sarampo e Rubéola] 4 semanas
Dupla viral (Sarampo e Rubéola) 4 semanas
Febre amarela 4 semanas
Sarampo 4 semanas
BCG 4 semanas
Rubéola 4 semanas
Varicela (Catapora)/Herpes zoster 4 semanas
Va r í o l a * 4 semanas
Rotavírus 4 semanas
Influenza 4 semanas
Cólera 48 horas
Pólio (Salk) 48 horas
Dupla do tipo adulto – dT(Difteria e Tétano) 48 horas
DTPa (Difteria,Tétano e Coqueluche acelular) 48 horas
Tetra (Difteria,Tétano, Coqueluche e Hemophillus influenzae do tipo b) 48 horas
Tétano 48 horas
Febre tifoide (injetável) 48 horas
Meningite 48 horas
Coqueluche 48 horas
Peste 48 horas
Pneumococo 48 horas
Leptospirose Hepatite B recombinante 48 horas
Brucelose 48 horas
Hemophillus influenzae do tipo b, hepatite A 48 horas
Hepatite B recombinante 48 horas
HPV (Human Papiloma Vírus) 48 horas
Influenza 48 horas
Vacina Antirrábica (vacina inativada proveniente de cultivos celulares) 48 horas 12 (doze) meses se após exposição animal
COVID-19 Quem tomou vacina para COVID-19 (CoronaVac/Sinovac/Butantan, Covaxin) deve aguardar 48 horas após qualquer dose; Já para as seguintes vacinas (Astrazeneca/Oxford/Fiocruz, Janssen-Cilag (Jhonson&Jhonson), Sputnik V, Comirnaty (Pfizer/Biontech) e Moderna deve aguardar 7 dias após qualquer dose.
PRINCIPAIS CAUSAS DE INAPTIDÃO DEFINITIVA PARA DOAÇÃO DE SANGUE
Alcoolismo crônico Definitivo
Anafilaxia (choque anafilático) Definitivo
Antecedentes de acidente vascular cerebral (AVC) Definitivo
Bronquite e asma (crises com intervalos de 3 meses ou menos, sem controle com medicamentos por via inalatória) Definitivo
Bronquite aguda/asma leve – crises leves e com intervalos maiores que 3 meses (compensada com medicamentos inalatórios) apto 3 meses após a última crise
Babesiose Definitivo
Blastomicose sistêmica Definitivo
Câncer (inclusive leucemia). Antecedentes de carcinoma in situ de cérvix uterina e de carcinoma basocelular de pele não impedem a doação de sangue Definitivo
Doença cardiovascular grave. Especial atenção para doença coronariana, angina, arritmia cardíaca grave, insuficiência cardíaca, doença valvular, aneurismas, má formações arteriovenosas, endocardite com sequela,miocardite com sequela, trombose arterial, trombose venosa recorrente e trombofilia. Definitivo
Diabetes tipo I, diabetes tipo II, insulino-dependente. Definitivo
Diabetes tipo II controlado sem necessidade de insulina Se inexistência de complicações e uso de medicamentos, liberados para doação. Se dúvidas, solicitar relatório médico.
Diabetes tipo II não controlado Até o controle da doença; necessário relatório médico afirmando a inexistência de complicações cardiovasculares
Doença de Chagas Definitivo
Doenças autoimunes que comprometam mais de um órgão. Por exemplo: lúpus eritematoso sistêmico, tireoidites imunes, artrite reumatoide, espondilite anquilosante, etc. Definitivo
Doença pulmonar grave: especial atenção à enfisema, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), história de embolia pulmonar Definitivo
Doenças endócrinas: hiperaldosteronismo, hiperfunção hipofisária, hiperlipoproteinemias essenciais, hipertireoidismo, hipopituitarismo, insuficiência suprarrenal, síndrome de Cushing Definitivo
Doenças gastrointestinais: cirrose hepática, retocolite ulcerativa crônica, doença de Crohn, hepatopatia crônica de origem desconhecida, hipertensão porta, pancreatite crônica, Síndrome de Gilbert, pancreatite alcóolica aguda, infarto mesentérico, hemocromatose, hepatite após 11 anos de idade (exceto a A) Definitivo
Doenças neurológicas: esclerose em placa, esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla, hematoma extra ou subdural com sequela, leucoencefalopatia multifocal progressiva, neurofibromatose forma maior,miastenia gravis Definitivo
Hematoma extra ou subdural sem sequelas 6 meses após a cura.
Neurofibromatose forma menor Apto
Doença renal crônica Definitivo
Doenças hemorrágicas congênitas ou adquiridas Definitivo
Doença de Creustzfeldt Jakob (vaca louca) ou histórico familiar de encefalopatia espongiforme humana e suas variantes, transplante de córnea e implante a base de dura-máter Definitivo
Elefantíase (filariose) Definitivo
Esquistossomose hepatoesplênica Definitivo
Esquistossomose intestinal Apto após fim do tratamento e sem sequelas
Feocromocitoma Definitivo
Hanseníase Definitivo
Hepatite viral após 11 anos de idade (exceto para caso de hepatite A ) Definitivo
Infecção por HBV, HCV, HIV, HTLV I/II Definitivo
Intoxicações por metais pesados Definitivo
Leishmaniose visceral (Calazar) Definitivo
Malária (Febre quartã – Plasmodium malarie) Definitivo
Doença psiquiátrica que gere inimputabilidade jurídica (incapacidade) Definitivo
Pênfigo foliáceo Definitivo
Psoríase extensa ou com outras manifestações associadas Definitivo
Reação adversa grave em doação anterior Definitivo
Tuberculose extrapulmonar Definitivo
OUTROS
Viagens “Quem veio de região endêmica de malária deverá aguardar 1 ano para fazer a doação -Quem fez ecoturismo na região da Mata Atlântica deverá aguardar 1 ano após o retorno. -Quem esteve no Iraque deverá aguardar 1 ano após o retorno para poder fazer a doação de sangue devido ao risco de transmissão de Leishmaniose. -Quem fez viagem internacional deve aguardar 30 dias devido a epidemia de coronavírus (COVID-19). -Para as pessoas que tenham permanecido no Reino Unido ou Irlanda por mais de 3 meses, de forma acumulativa em 1980-1996 é considerado inapto definitivo. -Que permaneceu durante 5 anos ou mais na Europa após 1980 até os dias atuais também é inapto definitivo.”
Partos “Parto normal: 90 dias. Cesariana: 180 dias. Abortamento: 12 semanas No caso de amamentação, só é permitido doar sangue caso o parto tenha sido há 12 meses.”
Peso Mínimo 50 Kg com desconto das vestimentas
Comportamento Sexual “É considerado inapto por 6 meses quem tenha iniciado uma relação sexual com um(a) novo(a) parceiro(a), devendo ser considerado o primeiro contato sexual como início do período de inaptidão. É considerado inapto por 12 meses: a) Quem tenha feito sexo em troca de dinheiro ou de drogas ou seus respectivos parceiros sexuais; b) Quem tenha sido vítima de violência sexual ou seus respectivos parceiros sexuais; c) Quem tenha tido relação sexual com pessoa portadora de infecção pelo HIV, hepatite B, hepatite C, HPV, ou outra infecção transmissão sexual e sanguínea; d) Quem possua histórico de encarceramento ou em confinamento obrigatório não domiciliar superior a 72 horas, durante os últimos 12 meses, ou os parceiros sexuais dessas pessoas; e) Quem seja parceiro sexual de pacientes em programa de terapia renal substitutiva e de pacientes com história de transfusão de hemocomponentes ou derivados;”
Drogas Ilícitas “Quem fez uso de maconha aguardar 12 horas para fazer a doação. Quem fez uso de lança perfume aguardar 6 meses após a última utilização. Quem usou crack ou cocaína por via nasal é necessário aguardar 12 meses após a última utilização. Quem fez uso de LSD, MD ou outra droga sintética aguardar 12 meses após a última utilização. Quem fez uso de chá de ayahuasca, cogumelo ou outros de efeito alucinógeno, aguardar 12 meses após a última utilização. Quem fez uso de alguma droga injetável não poderá mais doar sangue, devido ao elevado risco de contaminação.”
Anemia Estão aptos para doar mulheres que tiverem a hemoglobina igual ou maior a 12,5 g/dL ou microhematócrito igual ou superior a 38% e homens com a hemoglobina igual ou maior a 13 g/dL ou microhematócrito igual ou superior a 39%.
COVID-19 “Candidatos que estiverem com sintomas sugestivos de COVID-19 ou que tiveram contato íntimo com indivíduos diagnosticados com a doença – seguir recomendações atualizadas de acordo com Notas Técnicas do Ministério da Saúde “